Viagem

Kathakali, teatro, religião e imitação em Fort Cochin


Quando cheguei às cinco horas, o primeiro dos atores já estava no palco, segurando um espelho com uma mão e um pincel na outra, colocando maquiagem com diferentes pinturas no chão. Enquanto os minutos passavam, seu rosto estava desaparecendo sob linhas verdes, vermelhas e pretas. A certa altura, apareceu outra pessoa que o ajudou a terminar o trabalho, dada a sua complexidade. Enquanto isso, dois outros atores também estavam aplicando maquiagem e todo o processo levou uma hora. Então, enquanto eles desapareciam para trocar de roupa, outro membro da empresa apareceu para nos dar uma série de explicações sobre o que vimos e o que assistiríamos em alguns minutos.

Ele nos disse que toda maquiagem e pintura eram naturais, provenientes de diferentes plantas da região, e que as diferentes cores eram um guia para o alcance, a natureza ou o caráter dos personagens. Além disso, os atores colocam a semente de uma flor nos olhos para mudar a cor branca e tingir de vermelho. Com a ajuda de outro ator, ele explicou como as ações que queriam ser representadas estavam relacionadas às posições de diferentes partes do corpo. Desde gestos faciais, com contração e relaxamento dos músculos ou movimentos dos olhos, até jogos de pulso, tudo tinha um significado.